quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

UMA REFLEXÃO SOBRE O MARCO REGULATÓRIO DO PIANCÓ-PIRANHAS–AÇU.


UMA REFLEXÃO SOBRE O MARCO REGULATÓRIO DO PIANCÓ-PIRANHAS–AÇU.


VEJA NO GLOBO RURAL DA REDE GLOBO(23.01.2014, QUINTA FEIRA) POSTADO ABAIXO:

QUE FOI DIMINUÍDO A VAZÃO DA BARRAGEM ARMANDO RIBEIRO GONÇALVES (BARRAGEM DE AÇU)...PELO VISTO, PREJUDICANDO COMUNIDADES...À JUSANTE DESTE MENCIONADO MANANCIAL... 

ENTRETANTO, FICA O GOVERNO DO RIO GRANDE DO NORTE, ATRAVÉS DO COMITÊ PIANCÓ, PIRANHAS-AÇU, PREVALECENDO DO MARCO REGULATÓRIO DESTA BACIA HIDROGRÁFICA FEDERAL DO RIO PIANCÓ...PARA QUE SE AUMENTE A VAZÃO DESTE MARCO REGULATÓRIO DO AÇUDE DE COREMAS...


PARA ATENDER OS ABASTECIMENTO HUMANO...DE CAICÓ-RN, JARDIM DE PIRANHAS-RN, JUCURUTU-RN ENTRE OUTRAS COMUNIDADES...NA MAIORIA DELAS, FICA LITERALMENTE, DENTRO BACIA HIDRÁULICA DE AÇU, OU SEJA, DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ENTORNO DA BARRAGEM DE AÇU... TUDO ISTO, AO MEU VÊ...É IMORAL...E VERGONHOSO.


Maior reservatório de água do Rio Grande do Norte atinge o menor nível

POR QUE A CIDADE DE JUCURUTU/RN...
JÁ ESTÁ SENDO ABASTECIDA ATRAVÉS DE CARRO PIPA.


COREMAS...O OÁSIS NO SERTÃO PARAIBANO
http://coremasterradaagua.blogspot.com.br/

BLOG TURISMO RURAL NA APRAIBA
http://turismoruralnaparaiba.blogspot.com.br/

PORTAL LUIS NASSIL...PÁGINA PEDRO SEVERINO
http://blogln.ning.com/profiles/blogs/por-que-a-cidade-de-jucurutu-rn-j-est-sendo-abastecida-atrav-s-de?xg_source=activity


Seguindo o preâmbulo, (POR QUE A CIDADE DE JUCURUTU/RN...JÁ ESTÁ SENDO ABASTECIDA ATRAVÉS DE CARRO PIPA)...Agora em Janeiro de 2014...De se prevalecer do ‘Marco Regulatório Piancó/Piranhas/Açu, de 2007 que estabelece a liberação da vazão de 1 m³/s do reservatório de Coremas para o Rio Grande do Norte...Pois, ao meu ver, é quase inexequível, até porque, no transcorrer de desses últimos anos de 2012 e 2013...Anos de “Secas” severas nunca vista neste ‘Novo Milênio’...E ficará pior se 2014, foi um ano de chuvas novamente, abaixo da média...

E se tirar Água do Sistema Coremas/Mãe D Água, que já se encontra a ‘Beira de um Colapso Hídrico:

Justificando de que não falte água para o consumo humano, como já está acontecendo em Jucurutu/RN... Não “Passa” de se “Justificar o Injustificável”...Ou melhor, o município da Cidade de Jucurutu/RN, fica literalmente dentro da Bacia Hidráulica da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, conhecido popularmente pelo o Açude de Açu. Que foi inaugurado ainda no Governo Militar João Batista Figueiredo no ano de 1983...Ou seja, a 30 anos atrás...E ainda Jucurutu/RN, seu Abastecimento humano, ser ainda abastecida com as Águas oriunda de Coremas.

Entretanto, em suma, sabe-se que o Sistema Coremas/Mãe D Água, estar contido dentro de uma Bacia Hidrográfica Federal... Todavia, não podes se conceber, que o manancial como o de Coremas...Por se encontrar num estado de ‘Stress Hídrico’...Pelo “Estado” que se encontra, só estar podendo atender, as necessidades básicas do Estado da Paraíba, a “Priori” de consumo humano, dessedentação animal...E alguns projetos singelos de irrigação para alimentar a “Agricultura Familiar”, existentes entre Cajazeirinhas/PB e São Bento/PB...E por não Falar dos Projetos da Várzea de Sousa...

Afora suprir no abastecimento humano de toda a região das Espinharas e do Vale do Sabugi...E como também, toda a Microrregião de Catolé do Rocha...E por não dizer, até mesmo a Cidade de Caicó/RN. Pois, se sabe que a Cidade de Caicó, possui uma adutora que é captada no Rio Piranhas, ou melhor, no Rio Piancó...Debaixo da Ponte no município da Cidade de Jardim de Piranhas/RN...Onde separa a Paraíba do Rio Grande do Norte.

Em suma, deixando a esta questão hidrológica, ora em voga de lado...Entretanto, dentro de um principio hidrológico...Será preciso de se “Justificar o Injustificável”... Neste caso, será preciso, adentramos as condições atuais dos 2(dois ) principais mananciais da Bacia Hidrográfica do Piancó-Piranhas-Açu, que são o Complexo Coremas- Mãe D`Água e a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, conhecido popularmente , pelo o Açude de Açu...Mais condizentes a este quadro de estiagem que ora atravessamos...Então, ao meu vê, as condições hidrológicas dentro da bacia hidrográfica do Piancó-Piranhas-Açu...São estas: 

*Segundo monitoramento da AESA( ÚLTIMAS INFORMAÇÕES RECEBIDAS SOBRE OS VOLUMES DOS 121 RESERVATÓRIOS D'ÁGUA DA PARAÍBA MONITORADOS PELA AESA) 

Http://site2.aesa.pb.gov.br/aesa/volumesAcudes.do?metodo=preparaUltimosVolumesPorMunicipio


Município Açude Capacidade Máxima (m3) Volume Atual (m3) %
Volume Total Data
Coremas Coremas 720.000.000 206.100.000 28,6 14/01/2014

Coremas Mãe dÁgua 638.700.000 183.960.000 28,8 14/01/2014

*Ainda sem o resultado da Batimetria realizada pela ANA(Agência Nacional de Águas). Em Novembro de 2013.


Enquanto que a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, conhecido popularmente, pelo o Açude de Açu... O volume em 17/01/2014 é este: 

Bacia Piranhas/Assu: 


Eng. Armando R. Gonçalves
Assu 2.400.000.000 822.632.000 34,28 % 17/01/2014
Fonte: Semarh-RN- ( www.semarh.rn.gov.b).


Pelo visto acima, no dia 14.01.2014, Complexo Coremas- Mãe D`Água, só detém somente: 390,06 metros cúbicos de água...Enquanto que a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, conhecido popularmente, pelo o Açude de Açu detém 822.632.000metros cúbicos de água...Volume este de açu, corresponde 2,5 vezes a mais(+) do o Complexo Coremas- Mãe D`Água.

Diante desta situação abordado acima, fica quase inconcebível em querer se cumprir o ‘Marco Regulatório Piancó/Piranhas/Açu, de 2007 que estabelece a liberação da vazão de 1 m³/s do reservatório de Coremas para o Rio Grande do Norte... Então diante dito, seria salutar que o Estado do Rio Grande do Norte... Abdicasse do ‘Direito’ da vazão de 1 m³/s do reservatório de Coremas para o Rio Grande do Norte...Até porque a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, conhecido popularmente, pelo o Açude de Açu... Detém 822.632.000metros cúbicos de água...Volume este de açu, corresponde 2,5 vezes a mais(+) do o Complexo Coremas- Mãe D`Água.

Sendo assim, ficaria o Complexo Coremas- Mãe D`Água, atendendo somente o Estado da Paraíba...Nesta colossal demanda de Água...Para suprir e suplementar não só as necessidades básicas do Estado da Paraíba, a “Priori” de consumo humano, dessedentação animal...E alguns projetos singelos de irrigação para alimentar a “Agricultura Familiar”, existentes entre Cajazeirinhas/PB e São Bento/PB...E por não Falar dos Projetos da Várzea de Sousa...

Afora suprir no abastecimento humano de toda a região das Espinharas e do Vale do Sabugi...E como também, toda a Microrregião de Catolé do Rocha...Além do mais, atender na suplementação rural e urbano do consumo humano de Coremas, São José da Lagoa Tapada, Nazarezinho, Sousa, entre outros...Só assim, dentro um futuro próximo, não levar ao exaurimento o Complexo Coremas- Mãe D`Água... Há um provável ‘Colapso Hídrico’...Para uma inevitável exaustão de um ‘Stress Hídrico’...

Em suma, que isto, sirva pelo menos, como uma ‘ALERTA’... E/OU que sirva de uma “Reserva Hídrica...Que venha nos(Estado da Paraíba) suprir...Numa eventual ocasião ‘Emergencial... ... E/OU de uma ‘Calamidade Publica”...Por ventura de uma ‘Seca’, mais prolongada. 

Pense nisso.

Do Escritor 
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa(PB), 19.de Janeiro de 2014.



      


Ministro do Paraguai leva delegação para conhecer ações no Agreste de Pernambuco.

                               Roa Burgos pode levar agricultor para falar sobre
                              a organização. (Foto: Reprodução/ TV Asa Branca)

 Ministro do Paraguai leva delegação para conhecer ações no Agreste de  Pernambuco.


Chaco



             Intuito é conhecer estruturas feitas para combater problemas da seca.
                      Projetos podem servir ao Chaco, região semelhante ao semiárido do Brasil.

O ministro Joaquim Roa Burgos, da Emergência Nacional do Paraguai, está visitando o Agreste pernambucano, a fim de obter informações sobre o combate à seca no semiárido. O representante e a delegação daquele país visitam Pesqueira nesta quarta-feira (22). No Sítio Barreiras, eles têm contato com tecnologias sociais como cisternas de placas e calçadão, barragem subterrânea, barreiro de trincheira, além da “barraginha”. A comitiva visitou Buíque na terça (21).
 Delegação conhece estruturas feitas para combater
ação da seca. (Foto: Reprodução/ TV Asa Branca)

Estes são resultados de ações da Diocese dePesqueira junto à Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA) e à Fundación Avina. As experiências do Agreste serão levadas e possivelmente aplicadas pelo governo paraguaio em 60% do território do país, onde a população sofre devido à seca. “Nós estamos tentando encontrar uma solução a médio prazo que seja definitiva para as comunidades da região do Chaco Paraguaio, tanto indígenas e latinas que sofre horrores com a seca que se dá a cada ano”, contou o ministro.


O diretor nacional de Saneamento do Paraguai, Celso Ayala, também acompanhou a delegação. Ele ressaltou que, no Brasil, há muitos lençóis freáticos de água potável, diferentemente dos paraguaios, cuja maioria é de água salobra. Outra situação que ele veio averiguar é a do destino de dejetos de banheiros na zona rural.

No Sítio Cafundó, em Buíque, o agricultor Manoel de Araújo relatou à delegação que dificilmente chove no lugar, porém, mostrou as plantações de maracujá, macaxeira e outros vegetais que cultiva para o sustento da família. Isto é possível graças ao armazenamento de água em uma cisterna ligada ao telhado da casa, que acumula 16 mil litros, e à cisterna-calçadão, com capacidade para 52 mil litros, bem como de um poço de 36m de profundidade.

A organização do agricultor com a comunidade também é atrativo para o país vizinho. “Vamos tentar levar o senhor Manoel para o Paraguai, para replicar a experiência”, disse o ministro Roa Burgos. Para o produtor rural, ajudar as comunidades do Chaco “é um prazer”.

A coordenadora executiva Neilda Pereira, da ASA, diz que a aplicação dos projetos chama a atenção por conta da "metodologia e capacidade de discutir o semiárido como uma região de homens e mulheres que querem viver aqui, mas, viver com dignidade".


Região se assemelha ao semiárido e população sofre devido à seca. (Foto: Reprodução/ TV Asa Branca)


FONTE: G1


                   UM MOMENTO DE REFLEXÃO:

Certamente, além dos impactos ambientais, provocados não só pela exploração do pré-sal, conjuntamente, como  a exploração do petróleo em águas marítimas...E por não  falar também, de jazidas petrolíferas nas regiões em regiões continentais, como por exemplo, as jazidas petrolíferas de Mossoró-RN...Somatizando com a super exploração  do Gás natural da Bolívia, que é demandada pela própria Bolívia, Brasil, Chile, entre outros países Sul-americano...

É oportuno falar também, sobre  a exploração de ‘Perfuração de Poços Artesianos’, através da técnica de ‘Fraturamento Hidráulico, contaminará as Águas subterrâneas dos lençóis freáticos e aquíferos...Além De diminuir substancialmente, das águas subterrâneas...Levando consequentemente, a uma diminuição drasticamente da ‘Evapotranspiração’...Diminuindo obviamente, a convergência intertropical(principalmente no Semi-árido do Brasil) na formação de chuvas.

 Afora também, de diminuir a intensidade do calor do ‘Magma da Terra’ para sua ‘Crosta”...Diminuindo também, a evaporação das Águas dos mares e oceanos...E como também, da ‘Evapotranspiração das Águas subterrâneas dos aquíferos, principalmente do ‘Aquífero Guarani’...E por falar  o Aquífero Guarani, sabe-se que neste últimos 40 anos...Seu nível estático baixou 60 metros...Diminuindo ao meu vê, a susceptividade da evapotranspiração para formação de chuvas...   E dos lençóis freáticos espalhados  pela ‘Hidrosfera terrestre’.

Diante disto, é bom ressaltar, que tanto a exploração do pré-sal... Extração de Petróleo em Águas marinhas, exploração de jazidas petrolíferas em localidades continentais... E extração de gás natural, exemplo, gás da Bolívia... E com a ‘Infinidade’ de perfurações de poços artesianos pelo mundo afora, principalmente, do aquífero Guarani, pelos Estados Brasileiros(Minas Gerais, Mato Grosso do Sul,  São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul...Afora os Países do Paraguai, Argentina e Uruguai...Indubitavelmente, vem consubstanciar os prognósticos que nas próximas décadas (2010 à 2050)...Vai haver gradualmente, diminuição da evaporação do atlântico sul...Que conseqüentemente, irá diminuir os “Índices de Chuvas”...Das estações chuvosas das regiões sul, sudeste e centro-oeste até mesmo na região norte do Brasil... Já concernente a região Nordeste... Acentuar-se-á o ciclo de semiaridez desta região do Nordeste do Brasil”...Além do 'Chaco Paraguaio'...Pelo visto, levando toda  ‘Hidrologia Terrestre’...Há um verdadeiro ‘Holocausto Ambiental’.


P.S(PÓS ESCRITO): 

Se o Chago Paraguaio(que se localiza no sopé da Cordilheira dos Andes, área úmida, pantanosa e enchagada) estar aumentando seu 'Estágio se Semi-aridez...É mais uma alerta que com a exploração do Gás da Bolívia...E concomitantemente, a super captação das águas subterrâneas mostrada acima, vem, paulatinamente,   acelerando a diminuição dos índices pluviométricos nas Regões Sudeste, centro-Oeste e sul do Brasil...E como também, pelo visto, no Paraguai, Uruguai e Argentina dentro do 'Continente Sul-Americano'...E por não falar de toda hidrosfera Terrestre.



Do Escritor do Livro:
Água: A Essência da Vida
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa(PB ), 23 de Janeiro de 2014.







domingo, 15 de dezembro de 2013

El Niño / La Niña Fundo



El Niño / La Niña Fundo


Enchentes, Precipitações, Mudanças Climáticas.
http://youtu.be/4q9IeX9tei0


EL NIÑO
LA NIÑA


Padrões climáticos no Pacífico

Pesquisas realizadas nas últimas décadas tem lançar luz sobre o importante papel desempenhado pelas interações entre a atmosfera eo oceano na faixa tropical do Oceano Pacífico em alterar o clima global e os padrões climáticos. Durante os eventos de El Niño, por exemplo, a temperatura do mar na superfície na Central e Oriental Oceano Pacífico tropical se tornar substancialmente mais elevado do que o normal. Em contraste, durante eventos de La Niña, as temperaturas da superfície do mar nestas regiões tornam-se mais baixo do que o normal. Essas mudanças de temperatura estão fortemente ligados a grandes flutuações climáticas ao redor do globo e, uma vez iniciada, tais eventos podem durar 12 meses ou mais.

A forte evento El Niño de 1997-1998 foi seguido por uma fase prolongada La Niña que se estendia desde meados de 1998 até o início de 2001. Eventos El Niño / La Niña muda a probabilidade de determinados padrões climáticos em todo o mundo, mas os resultados de cada evento nunca são exatamente os mesmos. Além disso, enquanto geralmente há uma relação entre os impactos globais de um evento El Niño / La Niña e sua intensidade, há sempre o potencial para um evento para gerar sérios impactos em algumas regiões, independentemente da sua intensidade.

  
Previsão e Acompanhamento do Fenômeno El Niño / La Niña
A previsão da evolução do Oceano Pacífico é realizado em um número de maneiras. Modelos dinâmicos complexos projetar a evolução do Oceano Pacífico tropical de seu estado observado atualmente. Modelos de previsão estatística também pode capturar alguns dos precursores de tais desenvolvimentos. Especialista em análise da situação atual agrega mais valor, especialmente na interpretação das implicações da evolução da situação abaixo da superfície do oceano. Todos os métodos de previsão tentar incorporar os efeitos das interações oceano-atmosfera dentro do sistema climático.

Os dados meteorológicos e oceanográficos que permita episódios El Niño e La Niña a ser monitorado e previsão são provenientes de sistemas de observação nacionais e internacionais. A troca eo processamento dos dados são realizadas no âmbito de programas coordenados pela Organização Meteorológica Mundial.

WMO El Niño / La Niña Atualização
WMO El Niño / La Niña Update é preparado em uma base quase-regular (cerca de uma vez em três meses), através de um esforço de colaboração entre a OMM e do Instituto Internacional de Pesquisas do Clima e da Sociedade (IRI), como uma contribuição para o Inter-Agência das Nações Unidas Força-Tarefa de Redução de Desastres Naturais. Ele é baseado em contribuições dos principais centros ao redor do mundo que lidam com este fenómeno. 

Fonte: Programa Mundial de Clima Serviços de Aplicações e Serviços de Clima( OMM – Organização Mundial de Meteorologia)

 UM MOMENTO DE REFLEXÃO – NUMA CONCEPÇÃO CRÍTICA:



Veja segundo, esta modelagem postada acima, em Período de ‘EL NIÑO’...É interessante observa,  que desde o litoral do Pacifico Equatorial do Peru, cruzando  toda América Central...Indo até América do Norte no Alasca se limitando com litoral ártico da Rússia...Até mesmo no Oceano Indico...Atuam as anomalias de temperaturas do mar...com configurações de ‘El Niño...Enquanto, no resto do “Anel do Fogo” , ou seja, na Austrália setentrional, Indonésia e ciclo polar antártico...Atua o Lá Niña.

E que no Norte/Nordeste  Setentrional do Brasil...Ou seja, entre O  Atlântico Norte e o Atlântico Sul...Atual o La Niña, se prologando até bem próximo do Continente africano...Ou melhor, a Anomalias de temperatura do mar...Permanecem com águas frias. Incompatíveis a evaporação...Insusceptíveis a formação de chuvas...Desta forma, ocorrendo o Período de “Secas” no Nordeste do Brasil.

   


Já  nesta modelagem postada acima, em Período de ‘LA NIÑA’...É interessante observar,  que desde o litoral do Pacifico Equatorial do Peru, cruzando  toda América Central...Indo até América do Norte no Alasca se limitando com litoral ártico da Rússia...Até mesmo no Oceano Indico...Atuam as anomalias de temperaturas do mar...com configurações de ‘LA NIÑA...Enquanto, no resto do “Anel do Fogo” , ou seja, na Austrália setentrional, Indonésia e ciclo polar antártico...Atua o EL NIÑO.

E que no Norte/Nordeste  Setentrional do Brasil...Ou seja, entre O  Atlântico Norte e o Atlântico Sul...Atual o EL NIÑO, se prologando até bem próximo do Continente africano...Ou melhor, a Anomalias de temperatura do mar...Permanecem com Águas Quentes” ....compatíveis a evaporação...susceptíveis a formação de chuvas...Desta forma, ocorrendo o Período de “chuvas” no Nordeste do Brasil.

Entretanto,  agora( Novembro de 2013  ), segundo, CPTEC/INPE: Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos(http://clima1.cptec.inpe.br/)


PERSISTEM CONDIÇÕES NEUTRAS DO FENÔMENO ENOS DURANTE O PRÓXIMO TRIMESTRE 

A evolução das condições oceânicas e atmosféricas na região do Pacífico equatorial indica a continuidade de condições neutras do fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS). Tem-se observado regiões alternando fracas anomalias negativas e positivas de temperatura da superfície do mar (TSM) ao longo do Oceano Pacífico equatorial, considerando que nos últimos meses ocorreu o enfraquecimento das anomalias negativas que estiveram em destaque entre os meses de maio a agosto do presente ano. Enquanto isso, o setor oeste do Oceano Pacífico permanece mais aquecido, tanto em camadas superficiais quanto em águas mais profundas, apesar de subsuperficialmente essas anomalias estarem menos intensas nas últimas semanas e propagando-se para o leste. 


Em termos da circulação atmosférica de baixos e altos níveis, novamente não foram identificados padrões evidentes que revelem acoplamento da atmosfera com as condições oceânicas. A maioria dos modelos acoplados e estatísticos de previsão climática indica aumento dos índices de TSM da região central do Pacífico (região Niño 3.4) no trimestre de dezembro de 2013 e janeiro e fevereiro de 2014, porém dentro dos limiares da faixa de normalidade. Tal prognóstico sugere a persistência de condições neutras no Pacífico equatorial no próximo trimestre. 
                                               Texto atualizado em 27/11/2013.



 E mesmo assim, no Norte/Nordeste  Setentrional do Brasil...Ou seja, entre O  Atlântico Norte e o Atlântico Sul... Aonde deveria Atuar o EL NIÑO, se prologando até bem próximo do Continente africano...Aonde deveria estar atuando a Anomalias de temperatura do mar com “Águas Quentes”(Positivas):

Estar atuando com Anomalias de temperatura do mar com “Águas Frias”(Negativas)...Sendo assim, insusceptíveis a formação de chuvas...

Em suma, vejo para próxima  ‘Estação chuvosa’...
Do ‘Semi-árido do Nordeste do Brasil’
Do próximo ano de 2014... Como sendo... Mais outro ano “seco”.
Entretanto, é meu ponto de vista.



Do Escritor
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa(PB), 15.12.2013









quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Cássio, Cícero e Vital unem força para evitar ‘tragédia’ por falta d’água em Boqueirão(Epitácio Pessoa)






                                         Prof. da UFCG(Janiro Costa Rêgo)
  relembra momentos de racionamento no Açude Epitácio Pessoa
                                               http://t.co/qAKWWMMXht



Fala do Deputado Estadual Francisco de Assis Quintans no

Debate sobre a gestão do Açude Epitácio Pessoa e o abastecimento de água em Campina Grande


FALA DA PROMOTORA DO MINISTÉRIO PUBLICA-PB, ADRIANA AMORIM DE LACERDA
Promotora de Justiça do MPPB fala da preocupação sobre a ausência de gestão do açude Epitácio Pessoa
http://www.senado.gov.br/noticias/tv/default.asp?IND_ACESSO=S&cod_midia=308209&cod_video=307466



Dir. da ANA(Vicente Andreu) diz que defende a politica de retomada de abastecimento de água
http://www.senado.gov.br/noticias/tv/default.asp?IND_ACESSO=S&cod_midia=308208&cod_video=307447


Cássio, Cícero e Vital unem força para evitar ‘tragédia’ por falta d’água


Senadores levaram a Brasília situação preocupante de reservatórios no Estado

É grave a situação de Boqueirão. E medidas urgentes são fundamentais para que aquele açude não entre em colapso e deixe 1 milhão de pessoas com sede no estado da Paraíba. Esta é, em síntese, a conclusão a que chegaram os participantes da audiência pública requerida pelos três senadores Cássio Cunha Lima e Cícero Lucena (ambos PSDB) e Vital do Rêgo Filho (PMDB), ocorrida na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), na manhã desta quarta-feira (27).

O açude Epitácio Pessoa, mais conhecido como Boqueirão, é responsável pelo abastecimento de Campina Grande e outros 19 municípios paraibanos como e foi construído pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) na década de 1950. Atualmente atende mais de um milhão de pessoas. O último transbordamento do manancial foi registrado em 2011, de acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA).



Senadores temem por colapso caso não chova nos próximos meses (foto: divulgação)

BAIXO NÍVEL - Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), que monitora os níveis do reservatório, o volume atual é de 163.143.287 m³ de água, ou seja, 39,6% da capacidade total, que é 411.686.287 m³. O baixo nível persiste, mesmo após o Boqueirão ter recebido aproximadamente dois milhões de m³ de água, algo equivalente a sete centímetros de sua lâmina, provenientes das chuvas caídas na região.

De acordo com os expositores presentes, o açude do Boqueirão está com 39,6% do seu volume e chegará a seu volume morto, ou seja, ao volume indisponível para captação de água, se não chover, em janeiro de 2015. Em outras palavras, a situação do semiárido nunca foi tão grave, devido à rigorosa seca e à má gestão dos recursos hídricos. Senadores e convidados ressaltaram a importância da transposição do rio São Francisco, que dará segurança hídrica a todo o semiárido nordestino. SECA - Segundo o diretor-presidente da Agência Nacional de Águas, Vicente Andreu Guillo, estima-se que a seca atual é a pior entre 30 e 50 anos no semiárido nordestino. Ele afirmou ainda que o registro de precipitação é o pior nos últimos cem anos. Para Guillo, outra causa da situação alarmante que vive a região é o fato de o país ter um nível de reservação de água muito pequeno. - O Brasil tem, de maneira geral, uma grande fragilidade em termos de reservação hídrica. Nós estamos defendendo a retomada de uma política de construção de grandes reservatórios neste país – afirmou o diretor da ANA. O presidente da ANA explicou ainda que o nível de reservação de água na Paraíba está em torno de 30% e grande parte desse volume se deve ao açude do Boqueirão. “Se nós retirarmos desses 30% o reservatório de Boqueirão, que está próximo de 40% e tem um grande volume, a média da Paraíba baixaria drasticamente” – afirmou.

“E SE?” - O senador Cássio Cunha Lima não floreou e foi direto ao ponto: exigiu que a ANA tome uma atitude emergencial para o caso de não chover nos próximos meses. “São necessários planos de contingência, para que possamos estar preparados para o pior. E se não chover, o que faremos? Não podemos deixar chegar janeiro, não podemos é deixar chegar o colapso completo para depois decidir o que será feito – afirmou Cássio, indignado. 

Cássio lembrou que participou de debates, na Paraíba, sobre o problema do açude, sobretudo na coordenação do trabalho “muito dedicado e inteligente do deputado Assis Quintans, em nome da Assembleia Legislativa do estado”. De fato, Quintans é um parlamentar cuja atuação é fortemente comprometida com a questão de convivência com a seca. O senador paraibano também ressaltou que a atuação do presidente da Federação das Indústrias, Buega Gadelha, e a preocupação constante da prefeitura de Campina Grande, representada, na audiência, pelo secretário e vereador Tovar Correia Lima. Coremas – Mãe D`Água e Engenheiro Ávidos – Cássio lembrou ainda que “não podemos nos esquecer de outro Boqueirão, que é Engenheiro Ávidos, que abastece a cidade de Cajazeiras, e da própria situação do Açude Coremas. 

Todos eles são mananciais federais e que, portanto, dependem da gestão da Agência Nacional de Águas”. O problema é que, além da seca, os problemas enfrentados por cerca de um milhão de pessoas que vivem nos municípios dependentes dos açudes também são causados pelo desperdício de água, má gestão e presença de irrigantes que usam a água do açude sem outorga para tal e sem fiscalização. 

O presidente da ANA disse que a agência está fazendo um acordo com os irrigantes para diminuir a captação de água e desenvolvendo um trabalho em parceria com a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), o Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), o Ministério Público e a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) para melhorar a gestão da água. MÁ GESTÃO .

De acordo com o professor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Janiro Costa Rêgo, o principal problema causador da falta de água no açude é a má gestão. Ele explicou que, segundo a Lei de Águas (Lei 9433/1997), as bacias hidrográficas interestaduais e os reservatórios de águas federais devem ser geridos pela União, ou seja, pela ANA. Por sua vez, as bacias hidrográficas estaduais, devem ser geridas pelo estado. No entanto, o açude do Boqueirão, embora seja um reservatório de águas federais, faz parte de uma bacia hidrográfica estadual, que é a Bacia Hidrográfica do rio Paraíba. - Isso leva a uma complicação na gestão – afirmou o professor, que sugeriu uma delegação da gestão do açude à Aesa. 

O presidente da Aesa, João Vicente Machado Sobrinho, ressaltou o trabalho que tem sido feito em parceria com a ANA, que, segundo ele, está praticamente “morando” na Paraíba. Ele se comprometeu em continuar fazendo as reuniões periódicas, permanentemente, com a agência nacional para monitorar a gestão da água no estado. - Chova ou não chova, nós vamos continuar com essas reuniões periódicas permanentemente, com a frequência de dois, três meses, analisando o que se está fazendo, verificando como se está gerindo – comprometeu-se Sobrinho. 

TRANSPOSIÇÃO – Unanimidade durante a audiência pública, as obras da transposição do rio São Francisco foram lembradas como de importância estratégica para a convivência com a seca no Nordeste brasileiro. O presidente da Federação das Indústrias da Paraíba, Buega Gadelha, foi ao ponto: “Sem a transposição do rio São Francisco, a Paraíba não tem futuro”. Mas a calamidade total pode acontecer antes, se não houver chuva ou solução para o esvaziamento do açude Epitácio Pessoa. Por isto, a CDR apresentou requerimento para a realização de uma reunião com representantes do governo da Paraíba, na sede da Agência Nacional de Águas (ANA), a fim de buscar uma solução de emergência para a situação de falta de abastecimento de água enfrentada por vários municípios do sertão paraibano. O requerimento foi aprovado logo após a audiência pública. Agora é aguardar os próximos capítulos.





Assessoria de Cássio Cunha Lima

domingo, 27 de outubro de 2013

SITUAÇÃO DO SISTEMA COREMAS-MÃE D´ÁGUA ( 25 DE OUTUBRO DE 2013)


SITUAÇÃO DO SISTEMA COREMAS-MÃE D´ÁGUA
                  ( 25 DE OUTUBRO DE 2013)

ÚLTIMAS INFORMAÇÕES RECEBIDAS SOBRE OS VOLUMES DOS 121 RESERVATÓRIOS D'ÁGUA DA PARAÍBA MONITORADOS PELA AESA

Município
Açude
Capacidade Máxima (m3)
Volume Atual (m3)
% Volume Total
Data
Coremas
Coremas
720.000.000
235.000.000
32,6
25/10/2013
Coremas
Mãe dÁgua
638.700.000
206.340.000
32,3
25/10/2013



QUEM TE VIU...
QUEM TE VÊ...
É TRISTE...

E MESMO ASSIM, PELO VISTO  ACIMA, RELATO ABAIXO:

POR QUE A CIDADE DE JUCURUTU/RN...
JÁ ESTÁ SENDO ABASTECIDA ATRAVÉS DE CARRO PIPA.


Imagens do Rio  Piancó no município de Jardim de Piranhas (RN)
Se prevalecer do ‘Marco Regulatório Piancó/Piranhas/Açu, de 2007 que estabelece a liberação da vazão de 1 m³/s do reservatório de Coremas para o Rio Grande do Norte...Pois, ao meu ver, é quase inexeqüível, até porque, no transcorrer de desses últimos anos de 2012 e 2013...Anos de “Secas”severas nuca vista neste ‘Novo Milênio’...E se tirar Água do Sistema Coremas/Mãe D Água, que já se encontra a ‘Beira de um Colapso Hídrico...Justificando de que não falte água para o consumo humano, como já está acontecendo em Jucurutu/RN... Não “Passa” de se “Justificar o Injustificável”...Ou melhor, o município da Cidade de Jucurutu/RN, fica literalmente dentro da Bacia Hidráulica da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, conhecido popularmente pelo o açude de Açu. Que foi inaugurado ainda no Governo Militar João Batista Figueiredo no ano de 1983...Ou seja, a 30 anos atrás...E ainda Jucurutu/RN, seu Abastecimento humano, ser ainda abastecida com as Águas oriunda de Coremas.



Em suma, sabe-se que o Sistema Coremas/Mãe D Água, estar contido dentro de uma Bacia Hidrográfica Federal... Entretanto, não podes se conceber, que o manancial como o de Coremas...Por se encontrar num estado de ‘Stress Hídrico’...Pelo “Estado” que se encontra, só estar podendo atender, as necessidades básicas do Estado da Paraíba, a “Priori” de consumo humano, dessedentação animal...E alguns projetos singelos de irrigação para alimentar a “Agricultura Familiar”, existentes entre Cajazeirinhas/PB e São Bento/PB...E por não Falar dos Projetos da Várzea de Sousa...Afora suprir no abastecimento humano de toda a região das Espinharas e do Vale do Sabugi...E como também, toda a Microrregião de Catolé do Rocha...E por não dizer, até mesmo a Cidade de Caicó/RN. Pois, se sabe que a Cidade de Caicó, possui uma adutora que é captada no Rio Piranhas, ou melhor, no Rio Piancó...Debaixo da Ponte no município da Cidade de Jardim de Piranhas/RN...Aonde separa a Paraíba do Rio Grande do Norte.


Do Escritor
Pedro Severino de Sousa
João Pessoa(PB), 08 de Outubro de 2013

  
ENTRETANTO, VEJA O POTENCIAL QUE O SISTEMA COREMAS-MÃE D´ÁGUA POSSUI... TODAVIA,  NÃO É EXPLORADO, OU SEJA, NÃO É APLICADO PARA  O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE COREMAS:

COREMAS-PB... CIDADE SUSTENTÁVEL

PROPOSTAS DE PEDRO SEVERINO...


Pedro Severino de Sousa é Escritor do livro: A Essência da Vida, Bacharel em Administração de Empresas – UFPB, Campus II, Campina Grande (1980 a 1984). Cursou Pós-graduação Lato Sensu em Especialização em Gestão em Recursos Hídricos pela Triparceria UFSC-UFAL-FUNIBER (2005 a 2006).
Contato: Celular: (83)96657984
E-mail: pedroseverino.faustino@gmail.com


 PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL...
           DE COREMAS.
                       (CIDADE SUSTENTÁVEL)


CONVENÇÃO:
   Conceitos e exemplos nos anexos.

                                 
   
                                                         SUMÁRIO:

10(DEZ)PROJETOS PARA O MUNICIPIO DE COREMAS, CIDADE SUASTENTAVEL.
ENTRE ELES:

10.1- PROJETO MERIDIANO 38...PROJETO ESTE QUE SE ENCONTRA AQUIVADO NO MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL DO BRASIL.


10.2- PROJETO DE PISCICULTURA “EXTENSIVA”OU ARTESANAL, COMO ERA FEITO OUTRORA... PELO DNOCS... PARA O SISTEMA CUREMAS/MÃE D`ÁGUA...(CONTEMPLANDO OS MUNICIPIOS DE EMAS, OLHO D`´AGUA, PIANCÓ, IGARACY E AGUIAR, QUE FICAM NO ENTORNO DESTE REFERIDO MANANCIAL DE COREMAS)...ENSEJANDO... O AÇUDE DE COREMAS...COMO “

POLO INDUSTRIAL PESQUEIRO DO ESTADO DA PARAÍBA.


10.3- PROJETO DE ESPORTES AQUÁTICOS... E PASSEIOS NÁUTICOS.

10.4- CAMINHA DE AVENTURA ECOLÓGICA ENTRE AS SERRAS DOS BOQUEIRÕES DE COREMAS/MÃE D ÁGUA.

10.5 – INCLUIR COREMAS...NO GUIA TURÍSTICO DA PBTUR.

10.6- FAZER TELEFÉRICO DO ALTO DA SERRA DA CAPELINHA ATÉ O BAR DO PEIXE...CRUZANDO TODO ESPELHO DÁGUA DA PAREDE DO AÇUDE DE COREMAS.

11- REIVINDICAR UMA DAS “ENTRADAS”...DO PROJETO DE INTEGRAÇÃO DO SÃO FRANCISCO(PISF)...PELO VALE DO PIANCÓ

12- RETOMAR O “PLANO DAS ÁGUAS”...DO GOVERNO MARANHÃO (I)... ATÉ MESMO... CONVERGINDO COM O PROJETO CANAÃ...DO ENTÃO, GOVERNO WILSON BRAGA...DENTRO DO VALE DO PIANCÓ...TENDO COM “CARRO CHEFE”... COREMAS/MÃE D`AGUA...


PEDRO SEVERINO DE SOUSA
MEMBRO DA COMISSÃO DO TURISMO RURAL FAEPA/SENAR-PB
JOÃO PESSOA(PB), 30.08.2009


FONTE: BLOG TURISMO RURAL NA PARAIBA


AGORA ENTRETANTO AINDA COREMAS OSTENTA, O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO DE (IDH):0,592...CONSIDERADO DE BAIXO DESENVOLVIMENTO HUMANO...E QUE OSTENTA A 4.331 POSIÇÃO NO BRASIL...CONSIDERADO RELATIVAMENTE, COMO UM DOS MENORES IDH(INDÍCE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO) DO BRASIL, NORDESTE, E POR NÃO DIZER DA PARAIBA...AONDE JÁ FOMOS ENTRE AS DÉCADAS DE 40 E 50... A ITAIPU DA ÉPOCA. SÓ PERDENDO ESTA PATENTE...DEPOIS DA CONSTRUÇÃO DE ORÓS-CE. NO INÍCIO DA DÉCADA DE 60.

ACREDITO, ENTRETANTO, SÓ NÃO ESTAMOS (POIS, SOU COREMENSE NATO)...NUM POSIÇÃO BEM INFERIOR NO “RANKING NACIONAL” DO (IDH)...POR QUE AINDA DETEMOS O DNOCS, CHESF...E O MAIOR COMPLEXO HÍDRICO DO ESTADO DA PARAÍBA O SISTEMA COREMAS-MÃE DÁGUA). E AINDA DETEMOS AINDA UMA CONSIDERÁVEL PRODUÇÃO DE PESCADO. QUE ATÉ A DÉCADA DE 80...A PRODUÇÃO DE PESCADO EM COREMAS...ERA MAIOR... ATÉ DO QUE DO LITORAL DA PARAÍBA.

ACREDITO TAMBÉM, QUE A BAIXA LONGEVIDADE DOS COREMENSES... DECORRE PRINCIPALMENTE, DA FALTA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE BEBER PARA SUA POPULAÇÃO, OU SEJA, DE UMA COMPANHIA DE ÁGUA E ESGOTO, COMO POR EXEMPLO, A CAGEPA...POIS, SE SABE, QUE O INDICES DE CERTIDÃO DE ÓBITO EM COREMAS...É ALARMANTE...DECORRENTE DAS DOENÇAS DE VEÍCULAÇÃO DA POLUIÇÃO HÍDRICA.


NO ENSEJO, ASSISTA PT03 COREMAS... TERRA DAS ÁGUAS.

E TIRE AS SUAS DEVIDAS CONCLUSÕES. DO ESCRITOR DO LIVRO: ÁGUA A ESSÊNCIA DA VIDA

JOÃO PESSOA(PB), 27.10.2013